NOTÍCIAS

PLENÁRIA NO SINDICATO DOS CONDUTORES/SP APROVA PLANO DE LUTA CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

12/12/2017



Dirigentes sindicais de diversas categorias profissionais, principalmente do segmento de transportes, participaram da Plenária realizada nesta tarde (11/12), na sede do Sindicato dos Condutores/SP.

Diante de mais uma ameaça de sucateamento dos direitos do povo brasileiro, com a iminente votação da reforma previdenciária pelo Congresso Nacional, foi discutida uma pauta emergencial para deliberar sobre um plano de luta para impedir que ocorra essa tragédia social.

Vários dirigentes se pronunciaram em apoio às críticas feitas anteriormente pelo presidente Noventa da condução equivocada de uma greve geral, a princípio, marcada para o dia 05 de dezembro, sem que o setor de transporte tivesse participado das discussões e que os condutores de São Paulo jamais aceitariam ser massa de manobra.  

Todos sabem que o Governo está numa caça feroz aos deputados para seduzi-los com dinheiro público, atendendo todo tipo de emenda parlamentar em troca do voto a favor da reforma .

O companheiro Fajardo dos metroviários disse que na assembleia da próxima quinta-feira (14/12) levará aos seus pares a decisão desta Plenária, assim como, o presidente da Federação dos Rodoviários dos Trabalhadores em Transportes/SP e do Sindicato dos Condutores de Santos, Pestana, assegurou que o transporte da Baixada Santista para, e que em reunião, também no dia 14 com os 78 sindicatos filiados a orientação será para aderirem a paralisação.

O presidente da CTB, Adilson, disse que por conta da nova legislação trabalhista só sobreviverá sindicatos fortes e estruturados como dos Condutores/SP e que os sindicatos de gavetas e pelegos vão acabar.

Chiquinho, Secretário do DIEESE, disse que as centrais e todo o movimento sindical tem que falar uma única língua e deixar as vaidades de lado para não comprometer a luta e que o presidente Noventa está certo em sua posição que o setor de transporte é estratégico para o sucesso da greve. “ Por isso não basta assumir compromisso e não fazer a paralisação, isso não é ser dirigente sindical, isso é gente pelega que quer sair na foto com o chapéu do outro”.

O companheiro Paulinho da Federação dos Trabalhadores em Transportes da CUT disse que as centrais sindicais precisam urgentemente afinar a viola. “As centrais têm que fazer um rateio para ajudar com os possíveis gastos dos sindicatos dos transportes que representam um setor de serviço essencial à população. As paralisações geram multas pesadas.

O diretor do Sindicato co-irmão de Guarulhos, Marrom, assina em baixo tudo que foi falado na Plenária, assegurou que na sua região nenhum ônibus vai rodar e, inclusive, se predispôs a ajudar companheiros de outras cidades que tiverem dificuldades para pararem nas suas bases.

Após a fala dos representantes das centrais e das entidades sindicais, Noventa declarou que no setor de transporte só se faz uma greve quem tem organização, do contrário, estará fadado ao fracasso. “O patrão pode pressionar, ameaçar, mas um sindicato que tem comando, os trabalhadores param. No sindicalismo não há espaço para brincadeira, por isso não podemos sair dessa Plenária sem um encaminhamento. Proponho que seja decretado ESTADO DE GREVE PERMANENTE E GREVE GERAL NO DIA 19 DE DEZEMBRO”.

Por unanimidade, todos os participantes aprovaram o plano de lutas deliberado na Plenária.

Compartilhe


BUSCAR NO SITE