NOTÍCIAS

ENCONTRO DOS COMPANHEIROS(AS) DA MOBIBRASIL, CIDADE DUTRA E TUPI

30/09/2017



Dirigentes sindicais, militância e trabalhadores(as) das garagens da Mobi Brasil, Cidade Dutra e Tupi participaram em peso do Encontro, que aconteceu no Clube de Campo Vale dos Girassóis, em Santa Isabel, neste sábado (30/09).

O Secretário de Formação e Cultura, Sorriso, coordenou os trabalhos da mesa, agradecendo a todos os participantes que entenderam a importância do evento, cujo propósito é esclarecer e informar os trabalhadores(as) sobre a nova legislação trabalhista que entrará em vigor a partir de 11 de novembro.

Antes de começar as atividades de fato, Sorriso, convidou a todos para um minuto de silêncio em memória de dois grandes líderes, amigos e irmãos, que já não se encontram mais em nosso meio: Luciano e Maguila.

Vários dirigentes enalteceram o trabalho realizado com muita competência pelo companheiro Noventa, que é considerado por muitos como o melhor presidente da história do Sindicato dos Condutores/SP. Compartilharam da opinião de que o Governo passou um trator sobre a classe trabalhadora, mas a categoria que estiver forte, organizada e unida à sua entidade de representação conseguirá salvaguardar seus direitos. É o caso dos companheiros(as) condutores(as) de São Paulo.

Em sua fala, o diretor Adalberto disse sentir muito a falta do amigo Luciano. “Foi uma grande perda, mas é nosso dever dar prosseguimento a luta dele junto com a direção do Sindicato que tem nos dado todo apoio”.

O diretor Luizão da VIP AE Carvalho foi prestigiar o Encontro, assim como fez o companheiro Sorriso quando foi feito o mesmo evento com o pessoal das garagens da Zona Leste. “Nós não vamos nos abater com o peso da reforma trabalhista e da terceirização. Tenho certeza que daremos a volta por cima sob o comando do presidente Noventa, porque uma das muitas qualidades dessa categoria é que os homens e as mulheres são guerreiras, não foge à luta”.

O diretor Pastor Iranildo, sempre muito positivo em suas palavras, disse que somos abençoados por Deus por ter numa hora difícil que se encontra do País, um líder da grandeza de Valdevan Noventa.

O advogado do Sindicato, Dr Jucelino, sempre muito firme e objetivo em suas colocações palestrou a respeito dos impactos das mudanças que constam da Lei 13.467 que despersonalizou a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).

Começou falando que o presidente Noventa se antecipando à nova realidade deliberou a realização do 7º Congresso da categoria, onde será debatida a reforma trabalhista e outra que está na pauta do Congresso Nacional, a previdenciária.

Dr. Jucelino rejeitou o argumento do Governo Temer de que a CLT necessitava  passar por uma modernização, pois várias adequações aconteceram e nada justifica uma mudança tão profunda a não ser atender os interesses do setor econômico.  “Ficou claro que a finalidade da reforma foi a retirada de direitos como aconteceu em outros países, que posteriormente se confirmou um retrocesso social, um empobrecimento acentuado da população.

“A meu ver é perigoso sobrepor o negociado ao legislado porque são poucos os sindicatos que tem a força e a organização dos Condutores para negociar em pé de igualdade com o patronal. A mudança foi negativa uma vez que enfraqueceu as entidades de representação, a Justiça do Trabalho e o Ministério Público. Na verdade, analisando a Lei, dos 117 pontos apenas dois considero positivo”.

A plateia atenta ouviu que as Horas Extras estão ameaçadas. Se hoje a um limite de 50%, com a nova lei a empresa poderá definir se pagará as horas trabalhadas a mais a 10%, 20%, enfim de acordo com o seu interesse. O Banco de Horas poderá ser acertado de forma individual, entre empregado e empregador de até seis meses, o que praticamente extingue a  hora extra.

Outro absurdo apontado pelo advogado foi  que as gestantes poderão trabalhar em locais perigosos à saúde. A Insalubridade foi ignorada no texto.

Com relação ao Contrato Intermitente, no nosso setor é o que se chama de Dupla Pegada, o empregado só trabalha quando chamado pelo patrão, ou seja, corre-se o risco de ganhar no final do mês menos que um salário mínimo.

Dr. Jucelino falou da Terceirização, aprovada anteriormente à reforma trabalhista,  que representa o pior dos mundos já que permite que todas as atividades profissionais possam ser feitas por terceiros. “Motoristas, cobradores e os companheiros da manutenção poderão se transformar em pessoas jurídicas.

A nova lei desestimula o trabalhador a buscar seus direitos da justiça, já que se perder a ação trabalhista terá que pagar os honorários do advogado da empresa. Por fim, as homologações não precisarão mais ser feitas no sindicato ou no Ministério do Trabalho, o trabalhador poderá assinar sua rescisão apresentada pela empresa.

Dr. Jucelino disse que a função da CLT foi desvirtuada, antes tinha sido criada com o propósito de proteger o lado mais fraco das relações do trabalho, o trabalhador, mas infelizmente isso nos foi arrancado com a aprovação da reforma trabalhista e da terceirização, observou o advogado.

O Secretário Sorriso agradeceu a atenção de todos e finalizou o Encontro dizendo que o que é determinante para o sucesso da luta dos trabalhadores é a unidade, a organização e a força. “São com esses instrumentos que defenderemos nossos direitos contra os ataques do Capital”.

Depois do dever o divertimento. Os participantes se confraternizaram com um grande churrasco.

Compartilhe


BUSCAR NO SITE